Você está aqui:Qualidade>Norma ISO 9126
Terça, 07 Maio 2013 13:13

Norma ISO 9126

Escrito por 
Votos
(10 votes)

A norma 9126 foca na qualidade do produto de software, propondo Atributos de Qualidade, distribuídos em seis características principais, com cada uma delas divididas em sub-características:Funcionalidade, Confiabilidade, Usabilidade, Eficiência, Manutenibilidade e Portabilidade.

 

Funcionalidade

A capacidade de um software prover funcionalidades que satisfaçam o usuário em suas necessidades declaradas e implícitas, dentro de um determinado contexto de uso.

Suas sub-características são:

  • Adequação, que mede o quanto o conjunto de funcionalidades é adequado às necessidades do usuário;
  • Acurácia (ou precisão) representa a capacidade do software de fornecer resultados precisos ou com a precisão dentro do que foi acordado/solicitado;
  • Interoperabilidade que trata da maneira como o software interage com outro(s) sistema(s) especificados;
  • Segurança mede a capacidade do sistema de proteger as informações do usuário e fornecê-las apenas (e sempre) às pessoas autorizadas;

Confiabilidade

O produto se mantém no nível de desempenho nas condições estabelecidas.

Suas sub-características são:

  • Maturidade, entendida como sendo a capacidade do software em evitar falhas decorrentes de defeitos no software;
  • Tolerância a Falhas representando a capacidade do software em manter o funcionamento adequado mesmo quando ocorrem defeitos nele ou nas suas interfaces externas;
  • Recuperabilidade que foca na capacidade de um software se recuperar após uma falha, restabelecendo seus níveis de desempenho e recuperando os seus dados;

Usabilidade

A capacidade do produto de software ser compreendido, seu funcionamento aprendido, ser operado e ser atraente ao usuário.

Note que este conceito é bastante abrangente e se aplica mesmo a programas que não possuem uma interface para o usuário final. Por exemplo, um programa batch executado por uma ferramenta de programação de processos também pode ser avaliado quanto a sua usabilidade, no que diz respeito a ser facilmente compreendido, aprendido, etc. Além disto, a operação de um sistema é uma interface Humano-Computador (ver IHC) sujeita às avaliações de usabilidade.

Suas sub-características são:

  • Inteligibilidade que representa a facilidade com que o usuário pode compreender as suas funcionalidades e avaliar se o mesmo pode ser usado para satisfazer as suas necessidades específicas;
  • Apreensibilidade identifica a facilidade de aprendizado do sistema para os seus potenciais usuários;
  • Operacionalidade é como o produto facilita a sua operação por parte do usuário, incluindo a maneira como ele tolera erros de operação;
  • Atratividade envolve características que possam atrair um potencial usuário para o sistema, o que pode incluir desde a adequação das informações prestadas para o usuário até os requintes visuais utilizados na sua interface gráfica;

Eficiência

O tempo de execução e os recursos envolvidos são compatíveis com o nível de desempenho do software.

Suas sub-características são:

  • Comportamento em Relação ao Tempo que avalia se os tempos de resposta (ou de processamento) estão dentro das especificações;
  • Utilização de Recursos que mede tanto os recursos consumidos quanto a capacidade do sistema em utilizar os recursos disponíveis;

Manutenibilidade

A capacidade (ou facilidade) do produto de software ser modificado, incluindo tanto as melhorias ou extensões de funcionalidade quanto as correções de defeitos, falhas ou erros.

Suas sub-características são:

  • Analisabilidade identifica a facilidade em se diagnosticar eventuais problemas e identificar as causas das deficiências ou falhas;
  • Modificabilidade caracteriza a facilidade com que o comportamento do software pode ser modificado;
  • Estabilidade avalia a capacidade do software de evitar efeitos colaterais decorrentes de modificações introduzidas;
  • Testabilidade representa a capacidade de se testar o sistema modificado, tanto quanto as novas funcionalidades quanto as não afetadas diretamente pela modificação;

Portabilidade

A capacidade do sistema ser transferido de um ambiente para outro.

Como "ambiente", devemos considerar todo os fatores de adaptação, tais como diferentes condições de infra-estrutura (sistemas operacionais, versões de bancos de dados, etc.), diferentes tipos e recursos de hardware (tal como aproveitar um número maior de processadores ou memória). Além destes, fatores como idioma ou a facilidade para se criar ambientes de testes devem ser considerados como características de portabilidade.

Suas sub-características são:

  • Adaptabilidade, representando a capacidade do software se a adaptar a diferentes ambientes sem a necessidade de ações adicionais (configurações);
  • Capacidade para ser Instalado identifica a facilidade com que pode se instalar o sistema em um novo ambiente;
  • Coexistência mede o quão facilmente um software convive com outros instalados no mesmo ambiente;
  • Capacidade para Substituir representa a capacidade que o sistema tem de substituir outro sistema especificado, em um contexto de uso e ambiente específicos. Este atributo interage tanto com adaptabilidade quanto com acapacidade para ser instalado;
Visualizada 18527 Vezes Última alteração Terça, 18 Junho 2013 13:10
Ana Cristine Veneziani

Graduada em Sistemas de Informação pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Gestão da Qualidade de Software.

Atua na área de Usabilidade/Experiência do Usuário(UX) desde 2003, participando de grandes projetos como a reestruturação de sites do governo do Estado de São Paulo e sistemas de atendimento ao cliente, aplicando técnicas como testes de usabilidade, testes A/B, análise heurística, grupo de foco, card sorting etc. 

Participou da criação do Manual de Usabilidade para Serviços Públicos, recomendações que estabelece um padrão comum de qualidade dos sites do Governo do Estado de São Paulo.

Atualmente trabalha com sistemas da área tributária brasileira, área extremamente complexa e transformar tudo isso em sistema de um jeito fácil, intuitivo e emocionante ao usuário, para ela é algo totalmente desafiador.

Seu principal objetivo é desenvolver produtos com qualidade e que agreguem valor ao usuário final.

LinkedIn:  Ana Cristine Veneziani

2 Comentários

  • Link do comentário Ana Quinta, 24 Setembro 2015 13:05 Postado por Ana

    Vou pesquisar sobre o assunto e tentarei escrever um artigo sobre.
    Obrigada pela dica.

    Reportar
  • Link do comentário Marcelo Sábado, 25 Outubro 2014 04:05 Postado por Marcelo

    Oi Ane, tudo bem?

    Estou desenvolvendo meu TCC sobre avaliação de usabilidade de aplicativos web. Em minha pesquisa, pretendo utilizar a ISO/IEC 9126 e 14598 para elucidar alguns conceitos. Porém, em 2013 ambas foram canceladas e substituídas pela ISO/IEC 2510-2011.
    Não ficou claro para meu foco de pesquisa esta atualização, pois vejo que muito pouco mudou.
    Você poderia fazer uma análise dessa nova norma ou demonstrar as principais mudanças frente às que foram canceladas?

    Obrigado e parabéns pelo site!

    Abraços

    Reportar

Deixe um comentário

Campos com * são obrigatórios.

Últimas publicações

Usuários online

Temos 12 visitantes e Nenhum membro online